DE ACORDO COMO CONTRATO DE CONCESSÃO, ARSESP AUTORIZA REAJUSTE ANUAL DAS TARIFAS DA GÁSBRASILIANO

Em decisão conjunta, estado de São Paulo, Arsesp e concessionária excluem o ICMS da base de cálculo do PIS/COFINS, para amenizar o impacto dos aumentos estipulados pela Petrobrás

(​08/12/21) O reajuste anual da concessionária GasBrasiliano Distribuidora S/A (GBD) é feito todo mês de dezembro. Este acordo consta do contrato de concessão firmado com a Arsesp – Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de São Paulo, que cuida de divulgar os novos valores das tarifas de gás que estarão vigentes a partir de 10 de dezembro, para todos os segmentos. A GBD atende a região Norte do estado de São Paulo, que abrange os municípios de Araraquara, São Carlos, Porto Ferreira, Araçatuba, Marília, Ribeirão Preto, Bauru, entre outros.

Entenda como é calculado o reajuste:

 No contrato de concessão das distribuidoras de gás do estado de SP, a tarifa final paga pelo consumidor é definida com base em três componentes principais:

·         Margem Máxima da distribuidora, regulada pela Arsesp (baseada pelo IGP-M dos últimos 12 meses);

·         Custo da molécula de gás e transporte – valor determinado pela Petrobras, cabendo à Arsesp apenas dar cumprimento às regras contratuais e aplicar o preço determinado na tarifa; 

·         Saldo da conta gráfica e impostos.

Neste reajuste, os segmentos que mais tiveram impacto foram os residenciais e comerciais. O custo do gás determinado pela Petrobrás foi o componente que mais aumentou, cerca de 59%. Seu valor, para o consumidor residencial e comercial, passará de R$ 1,26 para R$ 2,01 por m³. Para os demais segmentos (Industrial e GNV), o custo do gás que consta da tarifa passará de R$ 1,92 para R$ 2,01 por m³, o que corresponde a uma variação de 4,4%.

 O Reajuste da Margem

O reajuste das margens, estipulado em 17,30%, corresponde à variação do IGP-M verificada entre novembro de 2020 e novembro de 2021 (17,88%), descontado o Fator X de compartilhamento de ganhos de eficiência da concessionária (0,59%). Como se sabe, este é o único item de reajuste regulado pela Arsesp.

 Medidas adotadas para redução dos impactos tarifários:

A melhor medida encontrada para amenizar o impacto dos aumentos estipulados pela Petrobrás foi excluir o ICMS da base de cálculo do PIS/COFINS, numa decisão conjunta do estado de São Paulo, da Arsesp e concessionárias para para amenizar o impacto dos aumentos estipulados pela Petrobrás

Neste momento, a GBD não repassou o valor de R$ 0,17/m³ que deveria ter entrado no custo do gás para a nova tarifa dos consumidores residenciais e comerciais.

A GBD também não repassou agora, ao usuário final, o valor da parcela referente à conta gráfica. Caso fosse aplicado o custo total da tarifa de gás o impacto tarifário seria substancialmente maior para estes segmentos.

GBD_21.jpeg
Confira a tabela com os novos valores da GBD:

Confira as deliberações nº 1255 e nº 1256​ sao da GBD

Fonte: Arsesp

Mais artigos

Novas regras de proteção do Mercado

Vídeo TOMASA sobre as principais disposições da Resolução Normativa ANEEL nº 1.011, de 2022, que trata das novas regras de proteção do Mercado. A Área de Energia permanece à disposição para auxiliar as empresas e associações de classe que queiram mais informações sobre os assuntos aqui abordados. Equipe Energia – TOMASA

Leia mais

O Hidrogênio Verde e as oportunidades para o Mercado de Energia

Artigo publicado no Canal Energia sobre o hidrogênio verde e suas oportunidades no mercado de energia. A Área de Energia permanece à disposição para auxiliar as empresas e associações de classe que queiram mais informações sobre os assuntos aqui abordados. Equipe Energia – TOMASA Download do material (PDF)

Leia mais

Apresentação ABRACEEL

Dia 28.03.2022, nosso sócio Urias Martiniano Garcia Neto apresentou para as associadas da ABRACEEL as principais disposições da nova metodologia do ICMS para o ACL no estado de São Paulo.

Leia mais