AUMENTO NA TARIFA DE TRANSPORTE DE GÁS NATURAL

Por Cid Tomanik (*)

Após mais de 10 anos de operação do Gasbol, a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) pretende  alterar a metodologia de cálculo das tarifas de uso da malha de gasodutos de transporte de gás natural. Atualmente, o país adota a tarifa “postal”.
Como medida preliminar à alteração, a ANP tem exigido que as Transportadoras de Gás firmem acordos operacionais com as Distribuidoras de gás. Este acordo estabeleceria procedimentos que envolvam qualquer tipo de troca de informações entre a Transportadora de Gás, a Petrobras e a Distribuidora, permitindo, assim, que os gasodutos sejam operados de forma coordenada, mantendo programações de quantidade de gás e transferências do energético de forma segura, para um suprimento final à Distribuidora efetuado de forma válida e sem riscos. Atualmente, esta é uma atribuição da Petrobras.
Na tarifa “postal” a valoração não reflete a variação de custos pertinentes a entradas e saídas, de modo que as tarifas de todos os pontos são iguais, independentemente da sua localização e distância, o que acarreta em subsídios cruzados e não considera determinantes específicos de custo, dentre eles a distância.
A ANP tem a intenção de aplicar a metodologia de cálculo das tarifas de transporte “ponto a ponto”.
Esta tarifa “ponto a ponto” é determinada pelo fluxo físico do gás desde a injeção até o destino, o city gate. Portanto, quanto mais longe o city gate ficar do ponto de injeção, mais caro ficará o transporte, e consequentemente, haverá aumento do preço do gás ao consumidor.
Em um país das dimensões do Brasil, o mais justo seria a tarifa “ponto a ponto”. Todavia, seria um péssimo momento para aumentar o preço do gás natural ao consumidor industrial.
(*) Cid Tomanik é advogado especialista no mercado de óleo e gás e consultor de empresas na estruturação e negociação de contratos de fornecimento de gás natural e sócio da Tomanik Pompeu Sociedades de Advogados.
fonte: Cottidianus Energy News

Mais artigos

Novas regras de proteção do Mercado

Vídeo TOMASA sobre as principais disposições da Resolução Normativa ANEEL nº 1.011, de 2022, que trata das novas regras de proteção do Mercado. A Área de Energia permanece à disposição para auxiliar as empresas e associações de classe que queiram mais informações sobre os assuntos aqui abordados. Equipe Energia – TOMASA

Leia mais

O Hidrogênio Verde e as oportunidades para o Mercado de Energia

Artigo publicado no Canal Energia sobre o hidrogênio verde e suas oportunidades no mercado de energia. A Área de Energia permanece à disposição para auxiliar as empresas e associações de classe que queiram mais informações sobre os assuntos aqui abordados. Equipe Energia – TOMASA Download do material (PDF)

Leia mais

Apresentação ABRACEEL

Dia 28.03.2022, nosso sócio Urias Martiniano Garcia Neto apresentou para as associadas da ABRACEEL as principais disposições da nova metodologia do ICMS para o ACL no estado de São Paulo.

Leia mais